Sexta-feira, 24 de maio de 2019

RESUMO ANALÍTICO DOS JORNAIS

Assuntos diversos ocupam as manchetes dos principais jornais brasileiros desta sexta-feira (24). Abrindo o quadro, O Estado de S. Paulo afirma que governo quer ser dono de imóveis do Minha Casa; Valor Econômico publica que Holding que controla Casino pede proteção contra credores; O Globo declara que regra especial beneficia hoje 56% dos servidores estaduais e o Correio Braziliense relata homofobia é crime, entende maioria do STF.

Governo quer ser dono de imóveis do Minha Casa - O governo vai enviar até julho ao Congresso projeto de lei para mudar regras do programa Minha Casa Minha Vida, revela Renata Agostini. Beneficiários da faixa 1, com renda de até R$ 1,8 mil, teriam de pagar aluguel; ideia é evitar comercialização irregular. Outra mudança em análise é aumentar exigências para o acesso de quem se enquadra na faixa 1,5 do programa (renda de até R$ 2,6 mil), na qual foi identificado grande número de inadimplentes. Os novos condomínios do Minha Casa deverão ter até 500 unidades, afirma O Estado. Outros destaques: A ameaça que paira sobre uma cidade; Maioria no STF equipara homofobia a racismo; EUA apoiam entrada do Brasil na OCDE.

Holding que controla Casino pede proteção contra credores - O empresário Jean-Charles Naouri, presidente do grupo varejista francês Casino, controlador do Grupo Pão de Açúcar, obteve ontem na Justiça francesa a aprovação de um plano de proteção contra credores. A medida, semelhante à recuperação judicial brasileira, vai durar seis meses, durante os quais a Rallye tentará montar um plano de reestruturação de suas dívidas. Estimativa de analistas é que Rallye e empresas ligadas somem dívidas de € 3,3 bi, publica o Valor. Outras chamadas: Custos caem e empresa tenta resgatar título; A taxação de imóveis pode dar R$ 300 bi; Beleza exterior.

Regra especial beneficia hoje 56% dos servidores estaduais - Dados do governo em parceria com o Ipea revelam que 56% dos servidores estaduais do país poderão se aposentar antes dos demais trabalhadores. O percentual corresponde a 1,3 milhão de pessoas, do total de 2,45 milhões de funcionários, multiplicando a pressão sobre a folha dos estados nos próximos anos. No Rio, policiais, bombeiros e professores, são 69% dos que estão na ativa. O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a reforma da Previdência deverá ser aprovada em 60 dias, declara O Globo. Outros destaques: Bolsonaro critica ataques ao Congresso e ao STF; Sem acordo, MP do saneamento deve caducar; Supremo iguala homofobia ao crime de racismo.

Homofobia é crime, entende maioria do STF - O STF retomou ontem o julgamento de duas ações que pedem a criminalização da homofobia e suspendeu a sessão após alcançar uma maioria de seis votos a zero favorável ao acolhimento do pleito. Dos 11 ministros do STF, seis entenderam que houve omissão do Congresso em legislar sobre o tema e votaram para que ofensas a homossexuais e a transexuais sejam enquadradas como uma forma de racismo. Apesar do presidente do Supremo, Dias Toffoli, anunciar que a análise da questão prosseguirá em 5 de junho, já há maioria formada, no plenário da Corte, sobre a criminalização da homofobia, relata o Correio. Outras chamadas: Jair Bolsonaro repudia protestos contra o Supremo e o Congresso; Gás matou família, dizem bombeiros; BC libera R$ 8,2 bi para animar consumo.

Bolsa cai e dólar sobe - O Ibovespa fechou em queda de 0,48%, aos 93.910 pontos. O dólar encerrou em alta de 0,18%, aos R$ 4,0475.

 

busca
Palavra-chave:
Período :
De :
Até :