Terça-feira, 19 de março de 2019

RESUMO ANALÍTICO DOS JORNAIS

Previdência militar, infraestrutura e relações internacionais são assuntos nas manchetes dos principais jornais brasileiros desta terça-feira (19). Abrindo o quadro, O Estado de S. Paulo destaca que Bolsonaro e generais agem para evitar divisão entre militares; Valor Econômico publica que plano prevê Porto de Santos sem ingerência de políticos; O Globo relata que Bolsonaro propõe aliança com EUA e o Correio Braziliense reporta que Bolsonaro quer os EUA como principal parceiro.

Bolsonaro e generais agem para evitar divisão entre militares - A divulgação da proposta em estudo pelo governo de reestruturação da carreira militar gerou inquietação na tropa e obrigou o presidente Jair Bolsonaro e a cúpula das Forças Armadas a agir para acalmar os ânimos dos militares de patentes inferiores, que se sentiram prejudicados. “Possíveis benefícios ou sacrifícios serão divididos entre todos, sem distinção de postos ou graduações”, escreveu Bolsonaro nas redes sociais. O texto deve ser apresentado ao Congresso até amanhã no mesmo pacote da reforma da Previdência da categoria, destaca O Estadão. Outros destaques: Onyx defende paciência para ter a ‘taça’ da Previdência; ‘BNDES terá de devolver R$ 126 bi’, diz secretário; Presidente destaca ‘capacidade bélica’ dos Estados Unidos.

Plano prevê Porto de Santos sem ingerência de políticos – O maior porto da América Latina, ícone da ingerência política em órgãos públicos e foco histórico de casos de corrupção, o Porto de Santos deve passar por amplo processo de modernização com base em três eixos, que incluem corte de custos internos e demissões, revisão de contratos e novas concessões, diz Tércio que aceitou o comando da Codesp desde que houvesse "porteira fechada", publica o Valor. Outras chamadas: Ibovespa supera 100 mil pontos; OAB proporá proteção às empresas; Guedes apresenta Bolsonaro e ganha aplauso por abertura.

Bolsonaro propõe aliança com EUA - Em seu primeiro discurso público nos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro se comparou a Donald Trump e propôs uma aliança política e econômica ao país. O tom do discurso de Bolsonaro na Câmara de Comércio dos EUA, em Washington, esteve presente também nos do chanceler Ernesto Araújo e do ministro da Economia, Paulo Guedes, relata O Globo. Outros destaques: Bolsa chega aos 100 mil pontos pela primeira vez; Marco Aurélio critica inquérito aberto no STF; Projeto prevê segurança privada até nas ruas da Barra.

Bolsonaro quer os EUA como principal parceiro - Em seu primeiro discurso nos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro ficou marcada a vontade do Brasil de promover negócios com os EUA. “Era tradição no Brasil eleger presidentes de mãos dadas com a corrupção e inimigos dos EUA. Hoje, este presidente é amigo dos EUA e quer aprofundar amizades e negociações. O ministro Paulo Guedes, que, num discurso em inglês, foi direto ao dizer que a China “está tirando o Brasil para dançar. E vocês, o que vão fazer?”; reporta o Correio. Outras chamadas: Brasil dispensa visto para americanos; Previdência dos militares deve ser entregue amanhã; Regras mais duras para ocupar cargos.

Bolsa sobe e dólar cai - O Ibovespa encerrou em alta de 0,86%, aos 99.993 pontos. O giro financeiro foi de R$ 11,5 bilhões. O dólar teve queda de 0,74%, aos R$ 3,7914.

busca
Palavra-chave:
Período :
De :
Até :